Os disfarces mais usados em assaltos a condomínios

Postagem de:

Os criminosos estão cada dia mais organizados e criativos para alcançarem seus objetivos, e é nesse cenário que bons profissionais de segurança se destacam pela sua perspicácia e treinamento. O seguimento dos procedimentos pelos profissionais de segurança e pelos moradores, tornam a situação menos atrativa para o ladrão, que irá procurar outro local mais fácil para cometer o delito. Não faça do seu condomínio esse local.

A seguir iremos mostrar alguns dos disfarces mais utilizados pelos bandidos para entrarem em condomínios para cometerem roubos e furtos.

Vale lembrar que eles se aproveitam da falta de atenção e/ou cumprimento dos procedimentos dos profissionais de segurança, portanto, fiquem atentos!

 

  1. Funcionário dos correios, telefonia, concessionárias e outros serviços públicos

Neste caso, alegam ter de fazer reparos dentro do condomínio e no caso do carteiro, dizem ter de entregar em mãos a correspondência.

O que fazer: Pedir um crachá com foto. Caso o morador não esteja, verificar junto à empresa se a pessoa é realmente um funcionário.

 

  1. Oficial de justiça

Forçam a entrada no condomínio com alegações de caráter legal, fazendo ameaças, ou ainda apresentando documentos falsos.

O que fazer: deve-se verificar a veracidade da identidade do profissional, solicitando a funcional, além da intimação a ser entregue. É prudente chamar o Zelador ou o síndico para acompanhar.

 

  1. Autorizado pelo telefone

Esse é um dos artifícios mais utilizados. Alguém se passando por morador, autoriza a entrada de um terceiro por telefone, às vezes valendo-se de informações privilegiadas sobre os morador para ludibriar o profissional.

O que fazer: o controlador de acesso deve ter uma relação de todos os telefones dos moradores. Só após fazer contato com o morador deve-se liberar.

 

  1. Falso Policial

Chegam pessoas trajadas como policiais, e algumas vezes em carros adesivados, simulando uma viatura, e exigem entrar no condomínio.

O que fazer: só permitir a entrada de um policial caso tenha um mandado ou se autorizado, seja por um morador, zelador ou síndico.

 

  1. Carro igual ao do morador

Alguns bandidos, após observação, se utilizam de veículo igual a de um morador do condomínio, e algumas veze até com a mesma placa (clonado).

O que fazer: dependendo dos procedimentos do condomínio, o ideal é o morador se identificar de alguma forma, seja acendendo a luz interna do veículo ou abrindo a janela.

 

  1. Mulher bonita e vestida de maneira provocante.

Essa artimanha é utilizada de várias formas. A moça, valendo-se de sua aparência, pode pedir para usar o banheiro, pedir ajuda pois o carro quebrou e precisa usar o telefone, ou ainda dizer que vai visitar um morador, normalmente solteiro, e não quer ser anunciada pois ela fará uma surpresa.

O que fazer: o profissional, não deve deixar ninguém entrar sem a devida autorização.

 

  1. Falsa Grávida

Mulher se passando por grávida, simula estar passando mal. Companheiro pede para usar telefone da guarita para chamar o médico.

O que fazer: caso pareça ser grave, o controlador de acesso pode ligar para a emergência, mas em hipótese alguma pode deixar a guarita ou permitir que alguém entre.

 

  1. Corretor de imóveis

Aparecem normalmente bem vestidos, às vezes em dois ou três e apresentam-se como corretores de imóveis e que irão visitar determinado apartamento.

O que fazer: verificar com o morador se a informação confere. Caso o imóvel esteja vazio, é necessário estar autorizado previamente a presença do corretor.

 

  1. Entregador (pizza, flores, cestas de café da manhã e outros)

Diz que vai subir ao apartamento para entregar e que já está autorizado, ou pede para chamar o condômino e ao abrir o portão para receber a suposta encomenda, rende-o e entra no condomínio.

O que fazer: nunca deixar que entregadores subam aos andares. Confirmar com o condômino se espera a encomenda. No caso de flores ou presentes surpresa, o porteiro deve receber, e para isso o ideal é que o condomínio instale um a”passador” de volumes para evitar a abertura do portão.

 

  1. O bem vestido

Homem entra no prédio sem levantar suspeitas por conta de suas vestimentas. O invasor rende o controlador de acesso e permite a entrada dos comparsas.

O que fazer: Não mudar procedimentos de segurança de acordo com vestimentas ou aparência de status social das pessoas.

 

  1. O conhecido

Aproveita-se da entrada de um morador no prédio e pegam uma “carona”. Ainda falam algo para o morador para não levantar suspeitas e parecer que se conhecem.

O que fazer: ter atenção nesse caso é essencial. Caso haja dúvida, abordar a pessoa e perguntar a que apartamento se dirige. Não deixar dois visitantes entrarem simultaneamente  também evita esse tipo de situação.

 

  1. De carro

Embicam o carro na garagem, buzinam e dão farol, forçando a entrada. Podem também usar a brecha de outro veículo e entram na sequência.

O que fazer: o procedimento de identificação de veículos deve ser rigoroso, e ser seguido a risca, tanto pelo profissional quanto pelos moradores.

 

Existem diversas outras formas que os criminosos utilizam para burlarem a segurança dos condomínios, mas em todos os casos é muito simples resolver, basta treinamento, atenção e aplicação dos procedimentos por todos.

 

Caso queira um projeto personalizado para seu condomínio, entre em contato conosco.

 

Autor:

André Molinaro

Diretor Executivo

RCI Soluções

+ 55 11 4371-6459
comercial@rcisolucoes.com.br
Rua 28 de Setembro, 1264 - sala 4 - Ipiranga - São Paulo - SP
ACOMPANHE NAS REDES
Copyright 2017 | Desenvolvido por Diego Marcondes